quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

BNB investe nas Novas Zonas de Processamento da Exportação no Nordeste

IN invest NE

Objetivo é fomentar os Arranjos Produtivos Locais e o desenvolvimento da indústria de energias renováveis

De acordo com  um laço de cooperação firmado entre o banco e o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), as novas Zonas de Processamento de Exportação (ZPE) terão apoio financeiro do Banco do Nordeste (BNB). Os dados foram divulgados  na última segunda-feira (17). O acordo também tem como objetivo fomentar os Arranjos Produtivos Locais, o Programa Brasileiro do Design, a inovação e o desenvolvimento da indústria de energias renováveis. “Trata-se de um mercado extremamente promissor e atraente, assentado sobre uma base industrial já bastante desenvolvida”, diz o ministro do MDIC, Fernando Pimentel.

O BNB poderá apoiar as ZPE por meio do Programa de Financiamento à Infraestrutura Complementar da Região Nordeste (Proinfra) – que usa recursos do Fundo Nacional do Nordeste (FNE) para financiar o setor privado, e o Programa de Desenvolvimento Produtivo (Prodepro), para o setor público. Este último, que conta com recursos de US$ 600 milhões do BNB e outros US$ 600 milhões do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), financiará infraestruturas produtivas, como a implantação das ZPE e as empresas que nelas se instalarem. “As ZPE podem reduzir os desequilíbrios regionais, na medida em que fortalecem o balanço de pagamentos, bem como promovem a difusão tecnológica e consequentemente o desenvolvimento socioeconômico”, avalia o presidente do BNB, Ary Joel Lanzarin.

Além de ofertar crédito, o banco será o responsável pelo fornecimento de apoio administrativo, recursos humanos e de eventuais estudos ou convênios que venham a ser solicitados por estados ou municípios. O acordo terá validade de 24 meses e poderá ser prorrogado até o limite de 60 meses.

ZPE - As ZPE são locais onde as empresas podem produzir e exportar seus produtos com isenção de impostos. Trata-se de áreas de livre comércio, consideradas zonas primárias para efeito de controle aduaneiro. Atualmente, há 23 ZPE em fases diferentes de implantação.

Balança comercial apresenta alta na venda de semimanufaturados e manufaturados
Nos dez primeiros dias úteis de dezembro, as exportações brasileiras somaram US$ 10,259 bilhões, com média diária de US$ 1,025 bilhão. Pela média, o resultado é 2% maior que o verificado em dezembro de 2011 (US$ 1,005 bilhão). Nesta comparação, cresceram as vendas de produtos semimanufaturados (22,9%), com destaques para açúcar em bruto, celulose, couros e peles, e ouro em formas semimanufaturadas. Também houve aumento nas exportações de manufaturados (2,3%) devido, principalmente, a etanol, óleos combustíveis, bombas e compressores, chassis com motor e autopeças. Os embarques de produtos básicos tiveram declínio de 3,6%, em razão, especialmente, de soja em grão, minério de ferro e café em grão.

Saldo - O saldo comercial de dezembro está superavitário em US$ 811 milhões (média diária de US$ 81,1 milhões). Pela média, o resultado é inferior em 53,1% ao verificado em dezembro do ano passado (US$ 172,8 milhões).

A corrente de comércio, nas duas primeiras semanas do mês, alcançou US$ 19,707 bilhões (média de US$ 1,970 bilhão). Pelo desempenho diário, houve aumento de 7,2% no comparativo com dezembro passado (US$ 1,838 bilhão) e redução de 4,2% na relação com novembro último (US$ 2,056 bilhão).

Da Secom


Fonte: Redação - IN invest NE (19.12.2012 10:13)

Nenhum comentário:

Busca

Siga no Facebook