segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

CE: portugueses miram o Interior


INVESTIMENTOS

Empresas de Portugal querem aproveitar empreendimentos previstos no Estado para expandir negócios

Em meio à crise que abala o Leste europeu e o grande volume de investimentos em obras no Brasil, novas empresas portuguesas voltam a mirar o Ceará como oportunidade para abertura de novos negócios. Com incentivos fiscais ofertados pelo governo e obras de Norte a Sul do Estado, o interior cearense tem sido o "porto" preferido à ancoragem e expansão dos empreendimentos.

Estão em vista uma fábrica de implementos rodoviários e outra de reciclagem de pneus e fabricação de pavimentos e pisos de borracha FOTO: DIVULGAÇÃO

Com polo de calçados consolidado e duas grandes cimenteiras (fábricas de cimento) em instalação, o município de Sobral foi o escolhido pelas lusitanas Galtrailer e Flexpiso, para implantação de seus parques industriais no Ceará. A primeira pretende construir, ainda este ano, uma fábrica de implementos rodoviários (grandes caçambas para transporte de minérios, areia e brita; reboques e pranchões para transporte de máquinas de até 100 toneladas etc); e a segunda, uma unidade fabril para reciclagem de pneus usados e fabricação de pavimentos e pisos de borracha, incluindo dormentes para ferrovias.

Infraestrutura

"Na primeira fase, a Galtrailer pretende fabricar pranchões, caçambas e reboques", antecipa o diretor de Infraestrutura da Agência de Desenvolvimento Econômico do Ceará (Adece), Eduardo Neves. "A crise (financeira) no Leste europeu tem sido decisiva para empresários de lá investirem fora (da Europa)", explica Neves.

Além disso, acrescenta, os mercados cearense e nordestino são muito promissores para este tipo de empresa, tendo em vista a grande movimentação de ferro, máquinas, pás de aerogeradores e até trens na região, neste e nos próximos anos. "Quanto a escavação dos túneis do metrô da Linha Leste irá movimentar só de terra?", exemplifica, lembrando ainda das obras da Transnordestina, Transposição do Rio São Francisco e de instalação de usinas eólicas na região.

Para se instalar em Sobral, a Galtrailer vem pleiteando à prefeitura do Município, área de quatro hectares no Distrito Industrial, à margem da BR-222; e infraestrutura de acesso e de energia. Do governo do Estado poderá ser beneficiada com isenção de tributos, da ordem de 75% do ICMS, e demais benefícios do Fundo de Desenvolvimento Social (FDI).

A empresa deve absolver investimentos iniciais, próprios, da ordem de R$ 12 milhões, e gerar 52 empregos diretos, na primeira fase. A instalação de uma linha de produção de equipamentos agrícolas é parte dos planos da Galtrailer, na segunda fase do empreendimento.

Flexpiso

Com investimentos da ordem de R$ 18 milhões, a Flexpiso deve começar a operar em Sobral em maio próximo, a princípio em galpões alugados, enquanto negocia uma área própria para instalação definitiva do empreendimento. Com uma fábrica em Portugal, a empresa pretende produzir pisos para parques infantis e desportivos, playgrounds, brinquedos e dormentes para trilhos ferroviários, à base de polímeros de borracha recicladas de pneus inservíveis.

Conforme explicou Eduardo Neves, as novas empresas que hora chegam são médias empresas europeias, que já têm mercados consolidados em países da Europa, África e que agora buscam espaço no Brasil e América Latina, a partir do Ceará. A boa relação entre os dois países e as facilidades da língua são fatores que facilitam as negociações. 


Fonte: Diário do Nordeste - Negócios

Nenhum comentário:

Busca

Siga no Facebook