quarta-feira, 1 de maio de 2013

Kodak vende duas empresas por US$ 650 milhões

O acordo garante a continuidade das operações da Kodak fora dos Estados Unidos, afirmou o presidente-executivo, Antonio Perez
O acordo garante a continuidade das operações da Kodak fora dos Estados Unidos, afirmou o presidente-executivo, Antonio Perez

O acordo, sujeito à aprovação pelo Tribunal de Falências dos EUA, em Manhattan, também quita as reivindicações do fundo de cerca de US$ 2,8 bilhões contra Kodak.

A empresa pioneira de fotografia Eastman Kodak, que está em concordata, informou que vai vender dois de seus negócios de imagem remanescentes para o seu fundo de pensão do Reino Unido por US$ 650 milhões.

O acordo, sujeito à aprovação pelo Tribunal de Falências dos EUA, em Manhattan, também quita as reivindicações do fundo de cerca de US$ 2,8 bilhões contra Kodak.

O acordo garante a continuidade das operações da Kodak fora dos Estados Unidos, afirmou o presidente-executivo, Antonio Perez, em um comunicado.

A Kodak está tentando vender a maior parte de seus negócios voltados para consumidores e de documentação de imagens, e mudar seu foco para imagens comerciais.

As duas empresas que estão sendo vendidas são de imagens personalizadas, que incluem a maioria dos produtos de consumo e quiosques de impressão no varejo, e sua unidade de imagem de documentos, que faz scanners para clientes corporativos.

O negócio de imagens comerciais da Kodak inclui a sua comunicação gráfica, filmes e produtos químicos de especialidade.

No mês passado, a Kodak alterou o seu contrato de financiamento que obrigava a levantar pelo menos US$ 600 milhões com a venda de ativos de imagem não-comerciais.

A empresa, que lançou sua primeira câmera em 1888, não conseguiu mudar com sucesso para a imagem digital e entrou com pedido de recuperação judicial no ano passado.

Nenhum comentário:

Busca

Siga no Facebook