domingo, 17 de fevereiro de 2013

Empresas buscam atingir metas do ´Visão Brasil 2050´


CRESCIMENTO COM SUSTENTABILIDADE

O desenvolvimento sustentável em direção à Economia Verde é irreversível, segundo as empresas brasileiras

A partir de nove temas básicos, 74 das maiores empresas brasileiras estabeleceram uma nova agenda de negócios para o Brasil com vistas a um cenário sustentável daqui a 37 anos, o "Visão Brasil 2050". Trata-se da versão nacional do "Vision 2050".

A geração de energia solar é uma das ações abordadas no documento Foto: Kiko Silva
O documento foi elaborado no ano passado, a partir de 11 workshops realizados com a participação de 500 representantes de 70 empresas que fazem parte do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (Cebds), dezenas de instituições acadêmicas, inúmeras Organizações Não-Governamentais (ONGs) e representantes dos governos estaduais e federal.

"O setor empresarial nacional deu um grande salto com a elaboração do documento ´Visão Brasil 2050´. Queremos chegar daqui a 40 anos sendo o Brasil uma potência verde. No ´Visão Brasil 2050´ foram definidas as tarefas, os responsáveis por elas e o tempo em que essas atribuições devem ocorrer. A partir daí é possível definir metas. É um documento de vanguarda", enfatiza a presidente executiva do Cebds, Marina Grossi.

Questionada pela reportagem se a postura do empresariado em relação ao Desenvolvimento Sustentável não seria muito mais uma preocupação com a imagem da empresa, Marina garante que "a fase de sensibilização já passou. De modo geral, o conceito de Desenvolvimento Sustentável é reconhecido pelas lideranças empresariais do Brasil e do mundo como um caminho viável. O desafio maior agora é como implementá-lo".

A presidente do Cebds afirma que "grandes empresas já adotaram o documento como referência de visão do futuro sustentável. Com o engajamento das grandes empresas, podemos também influenciar as cadeias de fornecedores e as pequenas e médias empresas brasileiras".

O diretor de Desenvolvimento Sustentável da Braskem - com atuação no setor químico e petroquímico - , Jorge Soto, contou ao Diário do Nordeste que a empresa "definiu que até 2020 pretende ser líder mundial da química sustentável. Para isso, reduzimos em 11% na intensidade nas emissões de gases de efeito estufa entre 2008 e 2011. Isso significou também uma redução em valores absolutos de mais de 750 toneladas de gases de efeito estufa, o equivalente a plantar e manter vivas por 20 anos mais de cinco milhões de árvores todos os anos. Acabamos de lançar a nossa nova linha de produtos, que permite aos nossos clientes aumentar a produtividade e reduzir o consumo energético. Nossas despesas com inovação e tecnologia ultrapassaram R$ 155 milhões em 2011. Ofertamos soluções para que a vida seja cada vez mais sustentável".

Tendências

Denise Hills, superintendente de Sustentabilidade do Itaú Unibanco, frisa que "nesse novo cenário, em que a mudança é constante e o conhecimento é produzido e renovado a todo o momento e pelos mais diferentes públicos, é importante que estejamos continuamente atentos às tendências do mercado, regulamentações e às demandas de clientes e da sociedade".

Conforme Denise, "o Itaú Unibanco tem se engajado fortemente em iniciativas relacionadas à nova economia, que vão desde questões ligadas à redução de emissão até inclusão financeira. Além disso, apoiamos instituições como o próprio Cebds, a fim de estimular a discussão dentro do setor e de manter um diálogo com outras esferas da sociedade. As empresas que estão atentas às tendências da nova economia já perceberam que não se farão mais negócios como antigamente. Os recursos, as estrutura e também os consumidores mudaram".

Dentro das diretrizes do Visão Brasil 2050, a Ambev vem realizando várias ações, segundo o diretor de relações socioambientais, Ricardo Rolim: "Organizamos e apoiamos diversas iniciativas voltadas para a reciclagem".

Exemplo disso é o programa Ambev Recicla, que reúne as iniciativas voltadas para a reciclagem de resíduos pós-consumo, tais como coleta seletiva, desenvolvimento de embalagens sustentáveis e contribuição ativa ao Movimento da Reciclagem. "A fábrica de vidros que temos no Rio de Janeiro é a maior recicladora da América Latina. Cerca de oito de cada dez garrafas produzidas na unidade são feitas com cacos reciclados".

O diretor de Assuntos Externos para a América Latina da Shell, Fábio Caldas, entende que a agenda Visão Brasil 2050 "é uma ferramenta importante no sentido de propor um mapa estratégico para a criação de uma economia sustentável no Brasil, com base no diálogo entre as diversas partes interessadas. Essa jornada a caminho da sustentabilidade, com a transição para uma economia verde, continuará na pauta de governos e iniciativa privada em todo o mundo, independentemente de qualquer crise econômica".

FIQUE POR DENTRO

Programa está dividido em nove pilares

Entre os pilares do "Visão Brasil 2050" estão:

Economia - Ações de curto prazo, como as isenções de impostos sobre produtos industrializados (IPI) com tecnologias mais eficientes, orientadas para o baixo carbono, ou que promovam a proteção ambiental.

Biodiversidade e Florestas - a inserção de critérios que assegurem a proteção da biodiversidade nos processos de compras públicas.

Edificações e Ambiente Construído - A garantia da comprovação da origem legal de matéria-prima, a implementação da medição individualizada de água em edificações novas e na reforma das existentes e a garantia de incentivos e subsídios fiscais para o investimento em eficiência energética nas edificações são algumas das ações que levarão ao desperdício zero na construção civil.

Energia e Eletricidade - O estabelecimento de subsídios e incentivos fiscais para a construção de parques eólicos, produção de biomassa, pequenas centrais hidrelétricas e outras fontes renováveis de geração de eletricidade, complementando a atual matriz hídrica, além do incentivo à comercialização de veículos híbridos, por meio de redução de tarifas como IPVA e IPI.

Além destes, há os de Mobilidade; Materiais e Resíduos; Valores e Comportamento; Desenvolvimento Urbano; e Agricultura e Pecuária.

DIÁRIO DO NORDESTE
FERNANDO MAIA
REPÓRTER 

Um comentário:

Anônimo disse...

http://www.eim.ind.br/sisadmin.index.asp

Busca

Siga no Facebook